12 janeiro 2009

AS TUAS AMARRAS



Doem mais as palavras do teu desprezo
enfincadas na minha carne até sangrar
Do que as cordas grossas do meu desejo
Amarras ridículas... A me torturar...

Por Van Luchiari ©


Postagem nova no VAN FILOSOFIA ( "So sorry!" )
Visite. Comente. Ouça. Sinta. Fique.

7 comentários:

Adriano Queiroz disse...

A galera do bondage ia amar esta poesia.
Cordas...

Abraços.

tossan disse...

Simples mais muito sensual e digna! Bj

o casalqseama* disse...

realmente,
palavras ferem mais que atos...




bjs da fê =D

rick disse...

hem tereçante , libera libera libera e solta essa aranha carangejeira,libera essa aranha,vc vam é delisia

Fabrício Romano disse...

poesia e foto ótimas, me deram pensamentos interessantes... gosto do seu estilo... estou adicionando seu blog à lista... grande beijo..

Professor Pasquale século XXI disse...

Rick (Martin?),

Eu iria atualizar seu portugues mas vi que é sacanagem com a linguagem, não? Então deixe pra lá. Mas a história da aranha caranguejeira não resisto: A tal é muito peluda!!! Coisa do século XX! Logo, creio que você errou ao citá-la!
Tem que arrumar uma aranha, digamos, mais carequinha! ;-)

Grande abraço (espero que esteja acompanhando) :-)

Nuno de Sousa disse...

Belo momento uma imagem ui ui... belo blog cheio de sensualidade. Cumprimentos,
Nuno