24 novembro 2008

DEMORE-SE





Coma-me.... e pronto!

Demore-se nisso.
Teu corpo é onde eu existo
é onde eu me encontro.
Demore-se em mim, amor.
Que eu preciso esquecer a dor
reaprender o desejo, o calor.
Devolva-me a minha fome
a minha alma, o meu ardor.
Agora que você me tem
Deguste-me até o fim
Até que não reste nada
Pra mais ninguém.
Pra mais ninguém.

Por Van Luchiari ©

20 comentários:

CÓDIGO SECRETO disse...

Tudo sempre delicioso aqui...

Bom começo de semana...

beijos no coração

Poisongirl disse...

Afff que calor!kkk
Que delícia ter a fome renovada , ultrapassar a barreira da dor , satisfazer - se a um ponto tal que mais ninguém seja necessário.

Único.

Monday disse...

o detalhe da perna levantada foi simplesmente impagável ... deu outra cor ao poema!
e "deguste-me até o fim" é um daqueles versos para se enquadrar e fazer o resto de qualquer poema faminto em torno dele ...

Jana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jana disse...

Adorei!
Foto e texto em deliciosa harmonia!

Beijocas
:)

Osmar Reyex disse...

Esse fogo é diferente. Consome mas não apaga. Se ainda sobrassem algumas migalhas. My name is nobody!

Léo Mandoki, Jr. disse...

a mulher geralmente necessita de mais tempo do que o homem durante o sexo...não é apenas o orgasmo em si...mas a mulher constroi o ato sexual de forma distinta do homem....
.....existe algo de fabuloso que vai deixando de existir qnd o sexo vai DEMORANDO....não sei o que é...mas é algo que vai deixando de acontecer para dar lugar à razão em pleno ato sexual...
Eu gosto de me DEMORAR exatamente por isso....para que eu tenha alguma racionalidade durante o ato...é uma espécie de controle lúdico...é bommm!!!
beijosss
adorei esse teu blog viu!!

o casalqseama* disse...

demorar nesse fim é acender o fogo para um novo começo... deliciosa composição e perfeito casamento com a foto!

tossan disse...

Personalidade poética sensual ao em alto grau. Degustei. Bj

Josadac Santos disse...

Vanessa, simplesmente 10!!!

Tudo... a foto então....Maravilha. Parabens!!

Pavón disse...

Quente, muito quente... e calor prolognadoé melhor ainda, nao?

Beijos

Lilian disse...

Nossa... intensa como eu!...
Adorei tudo!

Fernando Grassi disse...

Lindo, quente, intenso e demorado.
Provei e adorei.
Beijão.

Ricardo Valente disse...

Fazia tempo que não vinha até aqui. Esse lado teu mais explícito, tão revelador! Que temos a esconder, né? De 4 com beijucas hahaha

Elizeu de Lima disse...

Não quero ser o último a comer-te
Se em tempo não ousei, agora é tarde.
Nem sopra a flama antiga nem beber-te
aplacaria sede que não arde

em minha boca seca de querer-te,
de desejar-te tanto e sem alarde,
fome que não sofria padecer-te
assim pasto de tantos, e eu covarde

a esperar que limpasses toda a gala
que por teu corpo e alma ainda resvala,
e chegasses, intata, renascida,

para travar comigo a luta extrema
que fizesse de toda a nossa vida
um chamejante, universal poema.

C.D.A

Briguilino do Blog disse...

Estrando este teu jeito democratico de ser. Apenas publica o que te agrada? Que disse demais para excluir o comentário?

Van disse...

BRIGUILINO

Já sei o que aconteceu: você comentou no post de baixo e não nesse!!!!! Tá aqui o seu comentário. Veja se não é esse?

"Briguilino do Blog disse...

Pena que você não queira deixar "para mais ninguem" buaaaá
Você é maravilhosa!!!

1 de Dezembro de 2008 10:42"


Então foi isso. Pode conferir. Esse teu comentário, que seria pra esse post, você postou no post abaixo! Foi isso.

Eu não apago comentários de ninguém não, querido. A não ser que sejam ofensas diretas à mim ou aos meus leitores. Meus blogs são sim, locais democráticos.

Beijucas

Briguilino do Blog disse...

Desculpa-me?

Ricky Bar disse...

corpo

Com você em prazer me envolvo, me entrego, me inspiro
Teu corpo insano, transbordando desejos de vida
Você a mulher que voa, anjo, louca, vampira
Sou santo, demônio, você a amazona que domina
Que atrai, me distrai, brinca com meus sentidos
Teu corpo, teu suor, tem o sabor dos melhores vinhos
Queima em brasa esse corpo, esse ventre onde transpiro
Tua boca voraz, teus sussurros roucos no meu ouvido
Tuas mãos, teus movimentos, teus beijos, me envenenam
Chamando meu tronco, me levando mais pra dentro, vibrando
E quando meu amor se derrama, escorre, em tuas entranhas
Sinto-me quente, frágil, entregue, em tremores ofegantes
Teus espasmos, tuas unhas em minha pele, crispando, rasgando
Teus gritos e gemidos, teu colo, tuas coxas me apertando
Me afundo mais em seu abismo, nosso gozo, perpetuando

Márcio Ahimsa disse...

Oi Van,

que prazer estar aqui pela primeira vez, essa sensualidade, essa lascividade, essa beleza explícita e sentida em ferocidade de fome, de cheiro, de tato, de pele e lábios.

Votarei mais vezes.

Beijos, querida.