03 julho 2008

GUARDA-ME


A tua carne é uma gaveta
onde eu deposito os meus fluidos
onde eu guardo os meus segredos
onde eu arremesso os meus desejos.
A tua pele é um baú
onde eu armazeno os meus sonhos
onde eu abafo os meus éteres latejantes
onde eu decanto o meu gozar inebriante
O teu corpo é um recipiente
onde eu derramo minha essência mais pura
onde eu lambuzo e perfumo o meu sexo
e a minha língua prova a intumescida cura.

Noutras palavras....


Por Van Luchiari ©

8 comentários:

Paulo R Diesel disse...

Linda entrega, Van.
Lindo poema.

Bj.

iara disse...

uau van! o que é isso garota!
to me abanando afff ..rsbjs

Three Love's disse...

fazendo eco à Iara, rsrsrs...

que fogo menina, espero que tenhas aquele amante que te guarde, devore, castigue, complete, te falte e te devore.
senão...

b.e.i.j.o.s.

Ricardo Rayol disse...

maravilhoso

Teu disse...

...noutras palavras, em minhas palavras, quisera ser eu teu a materialização de teus sonhos, de teus desejos!

Lindo Van, lindo...

Teu disse...

!

Poisongirl disse...

Caramba!
Fico toda me derretendo daqui...

Teu disse...

E mais um...