15 junho 2009

IMPOSSÍVEL ©


Não! Não me ame. Não me queira.

Me ame. Me queira!
Abandone-me de uma vez.
Tira as mãos de mim.
Tira a boca.
Tira a língua de mim.
Larga meu coração!
Põe as mãos em mim.
Tua boca, tua língua.
Arranca-me essa paixão.
Arranca-me tudo.
Roupa, pele, gozo, explosão.
Desista.
Não desista de mim.

Livra-me dessa ilusão.
Não me deixe doer.
Não me torture. Não me arruíne.
Ama-me.
Faça-me doer esse amor impossível.
Ouça-me gemer. Faça-me gozar.
Não me cobre nada.
Descubra tudo!
Cubra-me.
Deita-me no teu corpo.
Me torture. Me procure.
Me ame. Me queira.
Não me deixe. Me deixe ser tua.
Tira-me tudo!
Leva-me inteira.
Não me ame!
Não!
ME AME!


Por Van Luchiari ©


10 comentários:

rm disse...

Primeirão! rss

Acho que a dúvida faz parte do jogo; mas só até certo ponto, né?


(gostei bastante desse texto)

Adroaldo Bauer disse...

Aqui pretendo cometer apenas o resto:
e é verdadeiro que se duvide, que se vacile, entre o prazer e mais prazer; entre amor e mais amor... já entre ter ou não amor e prazer, são floreios, negaceios, como a personagem explicita.

Nuno de Sousa disse...

Também provaria sem dúvida :-) hummm que belo momento de amor e ternura... que belas palavras que nos deixam bem... quentes a temperatura aqui em Portugal anda alta :-)
Bjs em ti e continua,
NUno

Helio Thompson disse...

Existe um fascínio nesse "não", nesse "sim".
Impossível entrar aqui, e não levar pelo menos um suspiro.
Tudo muito lindo.
Bjs.

Fernando R. Silva disse...

Putz, tinha até esquecido como esse blogue é bom!

Vanzinha, sabe o que acho mais belo na tua escrita erótica? É que consegue manter o sentimento como pano de fundo. Isso é tão, tão difícil. E por isso, tão estupendo quando o faz.

Parabéns!

Beijocas, Vanzinha!

JOSÉ KLÉBER LEITE DE CASTRO JÚNIOR disse...

Amor, lá vai:

Amar, foder: uma união
De prazeres que não separo.
a volúpia e os desejos são
O que a alma possui de mais raro.

Caralho, conas e corações
Juntam-se em doces efusões
Que os crentes censuram, os loucos.
Reflete nisto, oh minha amada:
Amar sem foder é bem pouco,
Foder sem amar não é nada.

Beijãoooo!!!!

Richard disse...

is very sey l like me gusta

Laércio disse...

A força de tua poesia reside no fato de apaixonar-nos desesperadamente, loucamente, tresloucadamente por ti, sem saber como amar-te e não amar-te, como fazer com me ame, sem amar-me, fazer-se teu escravo, e de ti, minha escrava, sem que percamos a liberdade sadiana, de poder matar e morrer, sem remoços, apenas com desejo!

drluiz disse...

Querida Van ...
Estou extasiado com a beleza deste blog
Não apenas pelo erotismo, mas pela suavidade com que voce o apresenta
A forma como voce apresenta estas cenas é muito envolvente e digna de uma mulher especial e acima da média ...
É IMPOSSIVEL não despertar palpitações e encantamento ..
É IMPOSSIVEL que a alma não se encante e os sentidos fiquem bastante aguçados ...
É IMPOSSIVEL ficar insensível da energia voce passou nesta breve sequencia ...
Grande beijo

@DRLUIZSANTANNA

Ana Marques disse...

Van,

Esse é simplesmente

MA-RA-VI-LHO-SO.