15 junho 2008

DOS DIREITOS DE SER TUA


Reservo-me o direito de ser a pedra bruta
onde tu esculpes com teus dedos ávidos
o inevitável gozo.
Reservo-me o direito de esculpir meu corpo
no teu ir e vir frenético e pulsante
e deslizar minha pele na tua
até que a forma completa se conclua.
Reservo-me o direito de ser o rascunho rústico
onde tu experimentas o teu erotismo
e penetras intensamente os orifícios
sem argumentos ou artifícios.
Reservo-me o direito de ser tua!
Somente tua!
Tira-me os excessos. Mata-me as imperfeições.
E saboreia tua obra.
A minha pele te espera.... inteira e nua!
...
Vem


Por V.

Um comentário: